quinta-feira, 23 de março de 2017

Em entrevista, Paul fala da dificuldade em gravar álbum no a-ha e comenta sobre o disco acústico

Foto: Krister Sørbø/VG

Paul deu entrevista na última semana ao blog SuperDeluxeEdition, especializado em música e na análise de edições de álbuns especiais. De sua casa no Brooklyn, em Nova York, ele falou sobre o difícil processo de gravação de um álbum do a-ha (“Há muita política envolvida”) e fez suspense sobre o disco acústico da banda, previsto para este ano. Paul também falou sobre o projeto Waaktaar Zoe, cujo álbum World of Trouble foi lançado no dia 24 de fevereiro, e confirmou para muito em breve o lançamento das versões de luxo do Minor Earth Major Sky (2000) e Lifelines (2002). Confira abaixo os principais trechos da entrevista dada a Paul Sinclair, editor do blog.

Eu li que Open Face (penúltima faixa do World of Trouble) quase entrou no Cast in Steel, isso é verdade?

Sim, porque os dois álbuns foram praticamente simultâneos. E como eu disse, quando eu escrevo eu não penso que isso tem que ser para aqui ou para ali. Então, há algumas músicas do último álbum do a-ha, como Under the Makeup, Cast in Steel e Open Face que Zoe cantou primeiro. Ainda estou pensando qual é a melhor versão. Depende do seu gosto. Elas têm uma vibração diferente.

Então você está dizendo que existe uma versão finalizada pelo a-ha de Open Face em alguma prateleira por aí, ou ela não foi concluída?

Er... Estou tentando lembrar o que aconteceu. O processo de gravação de um álbum do a-ha fica cada vez mais difícil à medida que avançamos. Há muita política envolvida...

Bem, eu ia lhe perguntar sobre isso, pois eu acho que um dos atrativos de fazer esse disco - corrija-me se eu estiver errado - é que alguém jovem e em início de carreira deve ser mais estimulante e emocionante, que diz ‘sim’ a coisas mais que os seus companheiros de banda no a-ha.

Sim [pausa]. Você sabe, é uma coisa muito diferente. O a-ha está na estrada há muito tempo e há muitos objetivos conflitantes. E nós vivemos em países diferentes, por isso é um pouco difícil ter de volta a sincronia em cada álbum e esse processo, para mim, está muito longe do final criativo das coisas, de forma que fica cada vez menos interessante. Então eu acho que muitas vezes eu mostro coisas [músicas] e se elas não entram no álbum eu não vou lutar com unhas e dentes para colocá-las mais lá.

Foto: Paal Kvamme/Aftenposten

They To Me And I To Them (sexta faixa do World of Troubleé uma canção muito antiga, não é mesmo? O que fez você tirar a poeira e colocá-la no álbum?

Sim, e isso acontece na maioria dos álbuns em que estive envolvido, seja no Savoy ou no a-ha e até antes disso, nos Bridges. É engraçado como as músicas estão ao redor e de repente chega o momento delas. Às vezes quando começo um álbum eu desenterro antigos cadernos e você descobre coisas e pensa: 'Isso é legal'”, daí você consegue material novo vindo daí.

Esse é o início de uma nova e longa colaboração ou apenas um projeto único?

Bem... nós realmente não pensamos em nada além desse (disco). Eu tenho muita música nova que estou trabalhando - tenho um álbum do Savoy que está terminado, masterizado e que sairá em setembro, então esse seria o próximo. E o a-ha está fazendo um álbum acústico neste verão e estou trabalhando em novo material que eu não sei exatamente para onde vai...

Sobre o a-ha.. Eu li em um site um tempo atrás a respeito da turnê acústica. Será uma espécie de álbum de estúdio em formato acústico?

Ainda não decidimos nada sobre isso. Sabemos apenas que faremos algo acústico [risos].

Eu li uma entrevista recentemente onde você diz que não estava muito feliz com alguns recentes lançamentos do a-ha. O que você quis dizer com isso?

É principalmente o processo no qual nós mesmos nos inserimos, que parece ser desnecessariamente árduo. Eu acho que tentamos nos encontrar cada vez que fazemos um disco, mas fica complicado. E com o último álbum (Cast in Steel) não passamos muito tempo juntos no estúdio, o que eu não gosto de forma alguma. Acaba sendo um monte de gente diferente fazendo coisas diferentes em lugares diferentes.

Foto: Paal Kvamme/Aftenbladet

O problema é que há muitos produtores, muitos compositores? Antigamente você escrevia boa parte das músicas e uma pessoa geralmente produzia o álbum. Existem muitas pessoas tentando influenciar os elementos criativos?

Sim, mas eu não me incomodo com discussões ou disputas enquanto estamos em um mesmo espaço. Você quer ouvir uma música dessa forma? Então vamos tocá-la agora mesmo, aqui. Depois a gente toca do meu jeito e você vai ouvi-la na mesma hora, ao invés de se transformar em um interminável vai e volta, com outras cinco pessoas... acaba virando mais uma coisa política. Portanto, eu gosto de manter o cara a cara e quaisquer opiniões que as pessoas tenham, que tenham no mesmo espaço. Era assim como fazíamos no início e, embora tivéssemos os mesmos argumentos naquela época, pelo menos a gente terminava de uma forma onde todos ficavam satisfeitos.

Isso significa que outro álbum de estúdio do a-ha é algo improvável?

É sempre provável. Você sabe que não há menos talento agora do que antes, então precisamos nos forçar a trabalhar juntos. Precisamos voltar para um estúdio, um produtor e lá martelar.

E qual é a ideia por trás dessa turnê acústica? Fazer algo apenas um pouco diferente sob a bandeira a-ha?

Nossas músicas costumam ser feitas no violão ou em piano acústico, então elas são sempre muito bem transformadas para qualquer forma que você queira dar - e isso tem sido algo que as pessoas diriam: ‘Vocês deveriam fazer um álbum acústico’.

Isso significa que vocês vão tocar em lugares menores, mais intimistas?

Até agora parece que vai ser do mesmo tamanho [normal], portanto será um desafio.

Podemos esperar pelo relançamento do Minor Earth Major Sky e Lifelines em um futuro não muito distante?

Sim.

Minor Earth Major Sky foi o álbum de 'retorno' de vocês. Como você analisa esse disco?

Eu tenho ótimas recordações desse álbum. Um período bom, muito material. Deve haver algumas boas gravações nesses lançamentos. Lifelines foi um pouco mais trabalhoso. Tentamos trabalhar com cinco ou seis produtores diferentes, de modo que esse foi o primeiro álbum onde tudo estava espalho em vários lugares diferentes. O lado bom disso é que você acaba com toneladas de diferentes versões e gravações que você pode usar em um relançamento.

terça-feira, 14 de março de 2017

The Voice contará com a experiência de Morten

Foto: Dagsavisen

Morten será um dos mentores da próxima temporada do The Voice na Noruega. O vocalista, que fez o anúncio em um vídeo publicado no Instagram do a-ha, terá como missão identificar talentos e guiá-los durante a competição, exibida no país nórdico pelo canal TV2. “Existe muito talento não descoberto por aí”, declarou Morten. O diretor do programa, Jarle Nakken, declarou estar contente com a participação de Morten, “dono de uma das melhores vozes do mundo” e referência na indústria fonográfica norueguesa. Em 2012, na primeira temporada do The Voice, Magne participou também como mentor. O time dele, representado na final pelo jovem Martin Halla, foi o grande vencedor.

ÁLBUM - Foi lançado no último dia 24 de fevereiro o álbum World of Trouble, o primeiro de Waaktaar & Zoe, projeto paralelo de Paul. O disco está disponível nos formatos CD e vinil (nas cores azul, violeta e preto) e pode ser adquirido pelo site da gravadora Drabant Music, que entrega em qualquer lugar do mundo. O álbum também já consta em plataformas de música como Spotify, iTunes e Tidal (confira aqui).

ENTREVISTA - Mags foi capa da revista semanal Krigsropet, publicada na Noruega pelo Exército de Salvação. Em uma longa entrevista de seis páginas, ele fala sobre o parque de esculturas Imprints, inaugurado em junho do ano passado na região de Fornebu, próximo à capital Oslo. O conteúdo está disponível na íntegra no site da revista (em norueguês).

sábado, 31 de dezembro de 2016

Banda lamenta morte de George Michael

Foto: Divulgação/site oficial

O a-ha prestou homenagem nessa sexta-feira (30) a George Michael, que faleceu aos 53 anos no último domingo (25). Em uma mensagem postada no Facebook, a banda lamentou a morte prematura do cantor inglês. “Embora não o conhecêssemos realmente, ele alcançou sucesso na mesma época que o a-ha nos anos 80”, declarou o trio norueguês. “Como alguém que dançou a sua própria melodia, George não era nenhum estranho à controvérsia, mas seu legado como um dos grandes compositores do pop permanece. Descanse em paz”, completou.

Morten, que raramente se manifesta nas redes sociais, também usou o Facebook para homenagear George Michael. “De repente você se foi. Sua passagem me deixou pensativo. Não sobre a morte; pensativo mais uma vez sobre a vida, sobre como servimos”, declarou o vocalista.

Em janeiro de 1991, George Michael fez duas apresentações no Rock in Rio II, mesma edição em que o a-ha também tocou. Foi a única vez que o artista inglês esteve no Brasil para se apresentar ao público.

Mensagem do a-ha

Depois de um ano devastador com a perda de artistas icônicos como os incríveis Leonard Cohen, Prince e David Bowie, chega a notícia que George Michael se foi muito cedo. Embora não o conhecêssemos realmente, ele alcançou sucesso na mesma época que o a-ha nos anos 80. Ocasionalmente esbarrávamos com ele em um estúdio de TV ou em negócios relacionados à música. Como alguém que dançou a sua própria melodia, George não era nenhum estranho à controvérsia, mas seu legado como um dos grandes compositores do pop permanece. Descanse em paz.

Mensagem de Morten

De repente você se foi. Sua passagem me deixou pensativo. Não sobre a morte; pensativo mais uma vez sobre a vida, sobre como servimos. Você serviu por um longo tempo e se entregou muito. No meio de tudo isso, sua fragilidade era o seu lado humano. Você provavelmente deu tudo o que tinha para oferecer, mas nunca seria o suficiente, como você deve ter aprendido desde cedo. O estrelato inevitavelmente sempre vem acompanhado por outro lado; a vida de um exilado. Obrigado por tudo!

Links:

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

a-ha anuncia álbum acústico ao vivo e nova turnê

Divulgação

Uma semana após fazer suspense nas redes sociais, o a-ha anunciou nessa quinta-feira (15) que gravará um álbum acústico ao vivo no ano que vem - nos formatos CD e DVD - e que sairá em turnê em 2018. A notícia foi comemorada por fãs de todo o mundo, que há anos aguardam o lançamento de um disco unplugged, até hoje inédito na discografia da banda. “Magne, Morten e Paul se juntarão a um grupo de músicos escolhidos a dedo para embelezar e reinventar os clássicos, bem como apresentar novo material em arranjos acústicos”, registra o site oficial do trio.

Para a gravação do novo álbum, o a-ha fará uma série de apresentações intimistas entre os dias 26 e 30 de junho de 2017. Ainda não se sabe o local onde elas serão realizadas. Em entrevista ao jornal VG, o empresário do grupo, Harald Wiik, afirmou que provavelmente ocorrerão na própria Noruega. “Quatro performances com capacidade muito limitada”, adiantou. A previsão é que o CD e o DVD sejam lançados em novembro do mesmo ano.

Já em janeiro de 2018, o grupo dará início a uma turnê para apresentar o projeto acústico que, segundo o trio, oferecerá aos fãs “uma nova forma de experimentar a música que eles amam”. Até agora já foram confirmadas dez apresentações (relação abaixo), sendo oito na Alemanha, uma na Áustria e uma na Suíça. Mais shows serão anunciados em breve.

“A banda está finalmente se juntando para gravações acústicas ao vivo de uma vasta seleção de nossas músicas! Neste momento, há um claro e crescente entusiasmo dentro do grupo em relação a isso. Tivemos momentos maravilhosos com os fãs em nossa última turnê e, como um quarto membro da banda, (eles) certamente tiveram uma influência no nosso compromisso com isso. Estou realmente ansioso por tudo isso!”, declarou Morten.

Imagem publicada há uma semana fez suspense sobre o anúncio 

Em novembro de 2015, ao responder a perguntas enviadas por fãs, Paul foi questionado o porquê de o a-ha nunca ter feito um acústico. “Isso tem sido discutido ao longo do tempo”, disse o guitarrista. Em outubro deste ano, ao falar sobre o futuro do grupo em entrevista à rádio BBC, ele voltou a tocar no assunto. “Eu adoraria fazer um novo álbum, estou insistindo por isso. Mas, você sabe, há outros planos, talvez haja um disco acústico a caminho... Não sabemos. Nós não dissemos adeus, então eu sei que haverá mais. Vamos ver onde isso acaba”.

A pré-venda de ingressos para as apresentações na Alemanha foi aberta hoje pelo site Eventim. A venda regular começa na segunda (19). Já a pré-venda de ingressos para o show na Suíça tem início na terça (20) pelo site Ticketcorner, com a venda regular começando na quarta (21), mesma data em que começarão a ser disponibilizados os ingressos para a apresentação na Áustria (o endereço do site ainda será divulgado).

Datas confirmadas até agora da turnê acústica 2018

23 de janeiro - Stuttgart, Alemanha (Schleyerhalle)
24 de janeiro - Frankfurt, Alemanha (Festhalle)
26 de janeiro - Hannover, Alemanha (TUI Arena)
27 de janeiro - Leipzig, Alemanha (Leipzig Arena)
29 de janeiro - Berlim, Alemanha (Mercedes Benz Arena)
30 de janeiro - Hamburgo, Alemanha (Barclaycard Arena)
2 de fevereiro - Viena, Áustria (Stadthalle)
3 de fevereiro - Munique, Alemanha (Olympiahalle)
5 de fevereiro - Zurique, Suíça (Hallenstadion)
6 de fevereiro - Colônia, Alemanha (Lanxess Arena)

Links:
Dagbladet | Side2 | Side-Line | P4 | Metropolnews | Neuepresse

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Morten discursa durante premiação na Noruega

Foto: Johannes Lovund

Morten participou no último domingo (20), na Noruega, da entrega do Prêmio Rafto de direitos humanos, que este ano foi concedido à iraquiana Yanar Mohammed por seu trabalho em favor das mulheres e minorias do país asiático. Convidado para discursar no evento, Morten leu um longo texto que falava da questão dos refugiados na Europa.

“A situação dos refugiados está sendo tratada como uma questão política; Mas é outra coisa além disso, e essa distinção é fundamental - pois define quem somos! Foi, e ainda é, uma questão humanitária - de magnitude!”, declarou o vocalista. O discurso, disponível na íntegra no a-ha.com, recebeu um acompanhamento de piano tocado por Kygo.

Concedido desde 1986 a pessoas ou organizações que se destacam por trabalhar a favor dos direitos humanos e da democracia, o Prêmio Rafto tem entre seus antigos premiados quatro personalidades - Aung San Suu Kyi, José Ramos-Horta, Kim Dae-Jung e Shirin Ebadi -, que depois ganharam o Nobel da Paz, também entregue na Noruega.

terça-feira, 11 de outubro de 2016

Vídeo mostra como foi a passagem do a-ha pelo PA

Reprodução/Hydro

Há pouco mais de um ano, durante a turnê brasileira, o a-ha realizava dois shows em um Estado onde nunca havia tocado antes: o Pará. Para lembrar a data, a empresa Hydro, patrocinadora das apresentações, publicou um vídeo de 11 minutos que mostra a emocionante passagem da banda pelas cidades de Barcarena e Paragominas. Confira aqui.

COMERCIAL - Estreou no último domingo (9), nas principais emissoras de TV do Pará, o comercial da Hydro gravado com Morten no Estado. O filme publicitário tem 1 minuto e meio de duração e é embalado pela canção There is a Place, lançada pelo vocalista no álbum solo Brother.

O comercial levou 21 dias para ser rodado e envolveu três equipes de trabalho nacionais e internacionais. Entre as locações, unidades da empresa em Barcarena, Paragominas e pontos turísticos de Belém, como Mercado do Ver-o-Peso, Ilha do Combú e Theatro da Paz, onde foi feita a cena final de Morten cantando para funcionários da Hydro.

CLIPE - Já está disponível no YouTube o clipe de Beautiful Burnout, o primeiro single do projeto Waaktaar & Zoe. O vídeo, dirigido por Evan Savitt e com fotografia em preto e branco de Zach Galler, não traz imagens de Paul, apenas de Zoe Gnecco. Para assistir, clique aqui.

sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Comercial com Morten no Pará estreia domingo

Foto: Hydro

Começa a ser veiculado neste domingo (9) o comercial de TV da empresa Hydro gravado com Morten no Brasil. O vídeo, dirigido pelo diretor norueguês Ray Kay, foi rodado no início do ano no Pará, onde a companhia atua. Dessa forma, ele será exibido apenas nesse Estado.

“No anúncio, você vai ver como o alumínio produzido nas operações da Hydro no Pará se transforma em produtos indispensáveis em nossas vidas”, afirmou a empresa no Instagram. De acordo com a Hydro, o comercial mostrará, pelos olhos de Morten, a profunda ligação da companhia com o Estado, sua gente, cultura e biodiversidade.

Na quinta-feira (6), a empresa postou no YouTube imagens com os bastidores do comercial e entrevistas com Morten, Ray Kay, Øyvind Fjeldheim (produtor) e Alberto Fabrini (vice-presidente da Hydro).

“Eu acho maravilhoso poder estar aqui. E espero não demorar muito para voltar”, declarou Morten. Segundo o vocalista, a empresa está mostrando que tem atitude ao apontar na direção de um futuro sustentável. “Isso é vital. E é por isso que eu estou aqui”, disse.

“Ver a paixão de Morten pelo Pará, sua cultura, seu povo, me inspira. Ele tem uma verdadeira paixão por esse lugar”, afirmou Ray Kay, que ficou fascinado com a dedicação com que o vocalista trata os fãs.

Saiba mais:
Após oito dias, Morten encerra passagem pelo Pará
Hydro publica foto de Morten e faz suspense
Divulgadas imagens de Morten gravando comercial
Comercial mostrará Morten falando em português
Morten aparece no Brasil e surpreende fãs

quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Clássico absoluto, Scoundrel Days completa 30 anos

Segundo álbum do a-ha vendeu mais de seis milhões de cópias

Scoundrel Days, o segundo álbum do a-ha, completa neste dia 6 de outubro 30 anos de lançamento. Citado pela crítica especializada como um dos melhores trabalhos da banda, o disco repetiu o sucesso do Hunting High and Low, lançado um ano antes, e hoje é um clássico absoluto do pop/rock internacional. O álbum vendeu mais de seis milhões de cópias em todo o mundo (alcançou a segunda posição dos 100 mais vendidos na Europa) e foi disco de platina na Alemanha, Suíça, Reino Unido e Brasil. Emplacou os hits I've Been Losing You, Manhattan Skyline Cry Wolf, que também ganharam videoclipes.

“Em Scoundrel Days, tivemos que aprender um pouco mais, até por isso foi um álbum mais uniforme. Há um espírito nele, um som próprio. Pode soar como um álbum muito típico do período dos anos 80, porém, ao mesmo tempo, não”, declarou Paul no livro The Swing of Things.

O disco começou a ser gravado em fevereiro de 1986, na Inglaterra, quando a banda estava em plena divulgação do Hunting High and Low. Metade do álbum, no entanto, só foi finalizado em junho de 86 na Austrália, onde a banda iniciou a sua primeira turnê mundial. Foi lá onde foram terminadas músicas como I've Been Losing You e Maybe, Maybe. “Nós começamos tudo do zero, escrevendo novas canções, o que foi bom, mas muito estressante”, afirmou Paul na biografia.

Segundo Morten, o Scoundrel Days é o disco que mais lembra as demos da banda. “O álbum inteiro e a própria faixa título têm uma atmosfera e uma excitação muito próprias embutida. É uma canção que faz você se mexer. Teria sido fantástico se fosse possível fazermos dela um single, mesmo que fosse com uma regravação, mas como isso não aconteceu, a explicação é a que fizemos o que tínhamos de fazer”.

Capa do single de I've Been Losing You, lançado em setembro de 86

Para Paul, as cinco primeiras faixas do Scoundrel Days reúnem o que há de melhor no disco. “The Swing of Things era absolutamente a favorita de Morten. De princípio, ele achou a faixa de certa forma bem comercial, mas depois ficou totalmente viciado nela e ela se tornou uma faixa memorável”. A música não se tornou single, mas hoje é uma das preferidas entre os fãs. “Eu acho que The Swing of Things é a canção que tem a melhor letra no álbum”, disse Mags, que também comentou sobre outras faixas do disco na biografia da banda.

“Eu escrevi o riff do refrão de Scoundrel Days no violão do meu avô quando era um adolescente ainda e Paul adicionou a melodia. Ela tinha uma outra melodia nos Bridges, quando ainda a chamávamos pelo título de The Leap e também tinha um refrão totalmente diferente. Paul mudou o refrão mais tarde e eu penso que foi uma das coisas mais geniais que fizemos juntos”, revelou o tecladista.

Em novembro de 2015, ao responder a perguntas formuladas por fãs na página da banda no Facebook, Paul também falou sobre a música. “Scoundrel Days realmente é a junção de duas músicas. O verso veio de uma canção dos Bridges, chamada The Leap, e o refrão veio de uma faixa muito ambiciosa que chamamos de Bergman Suite”, declarou.

Primeiro single do álbum, I've Been Losing You foi a canção que alcançou o maior sucesso na Europa, emplacando a primeira posição na Noruega e a oitava no Reino Unido. “Foi nossa primeira tentativa de produzirmos nós mesmos uma canção importante”, disse Mags.

Capa do single de Manhattan Skyline, lançado em fevereiro de 87

Sobre Manhattan Skyline, o tecladista declarou: “Foi, talvez, uma das mais inspiradas faixas que Paul e eu fizemos. Eu escrevi a parte mais tranquila e Paul escreveu a parte mais agitada, mais rock... Eu pensei que estávamos trabalhando num futuro clássico já no riff de abertura e ok... Ela é atualmente um clássico agora”. A canção foi o quarto e último single do álbum e alcançou o 13ª lugar das paradas inglesas.

Em 2010, o a-ha tocou o Scoundrel Days na íntegra em dois shows memoráveis na Noruega e Inglaterra. As músicas foram executadas em conjunto com a Orquestra Filarmônica de Oslo. No mesmo ano, a banda relançou o álbum em uma versão dupla remasterizada contendo um apanhado de raridades, incluindo versões demo de todas as faixas do disco, além de remixagens e gravações ao vivo da turnê de 86.

Nota: os trechos do livro aqui reproduzidos foram gentilmente traduzidos pelo fã Alexandre Moura da Silva. Muito obrigado!

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Waaktaar e Zoe lançam primeiro single no dia 30

Capa de Beautiful Burnout

O novo projeto musical de Paul, que agora está sendo chamado de Waaktaar & Zoe, terá o primeiro single lançado no próximo dia 30 de setembro. Beautiful Burnout, cujo clipe estreou em abril durante a convenção mundial de fãs, já está em pré-venda no iTunes. Já o álbum World of Trouble está previsto para sair em 24 de fevereiro de 2017.

Paul e Zoë Aphrodite Gnecco assinaram recentemente um contrato mundial com a gravadora norueguesa Dabrant Music. “Quando esta vibrante colaboração transformou-se no projeto de um álbum, eles decidiram simplesmente nomeá-la de Waaktaar & Zoe”, traz o site da dupla, que também criou contas no Twitter, Facebook e Instagram.

SAVOY - Foi confirmado para o dia 2 de dezembro o relançamento do segundo álbum do Savoy, Lackluster Me. O disco estará disponível em todos os formatos e sairá pelo selo norueguês Apollon Records.

VERSÃO ALTERNATIVA - O site oficial do a-ha publicou no YouTube um vídeo com imagens da sessão de autógrafos realizada há um ano em Oslo. Para ilustrar o material, foi utilizada uma versão alternativa de She's Humming a Tune, até então inédita. Para ouvir, clique aqui.

COVER - Tor Kvammen, finalista da edição norueguesa do programa The Voice, gravou para a emissora NRK um cover de Hunting High and Low. “Juntos criamos uma versão que nos orgulhamos”, afirmou Tor, que contou com a parceria de Trygve Stakkeland e Magnus Fjelde.

quarta-feira, 27 de julho de 2016

Mags em parceria com a rainha Sônia da Noruega

Foto: The Art Newspaper

A rainha Sônia da Noruega, conhecida por também atuar no campo artístico, exibirá na Inglaterra um portfólio de dez gravuras produzidas em parceria com Mags. O trabalho, intitulado Texture, será exposto entre setembro e outubro na galeria Paul Stolper, em Londres, que já recebeu a mostra Norwegian Wood, lançada por Mags há três anos.

SAVOY - O segundo álbum do Savoy, Lackluster Me (1997), deve ser relançado no dia 5 de dezembro, de acordo com informações do fórum alemão. O disco sairá nos formatos vinil e digital. A reedição faz parte de um contrato assinado com a gravadora norueguesa Apollon Records, que prevê o relançamento dos cinco primeiros álbuns da banda.

MORTEN - Dois vídeos da segunda apresentação solo de Morten na cidade russa de Ecaterimburgo foram publicados no YouTube. Estão disponíveis no site as canções Let it Be Me e Crying in the Rain. Já no Facebook, um usuário postou o vídeo de Did I Leave You Behind. O show ocorreu domingo (24) durante o evento Eurasia Extreme Open.

COVER - A banda a-ha Cover Rio, que fez show inaugural em março deste ano, realiza nova apresentação na capital carioca. O show está marcado para este sábado (30), às 22h, no Calabouço Heavy & Rock Bar, no bairro da Tijuca. Mais informações na página do evento.